Uma ferramenta desenvolvida pela chinesa Didi Chuxing, proprietária da 99 no Brasil, é capaz de usar os dados de movimentação dos condutores do aplicativo de transporte para colaborar com o gerenciamento inteligente do tráfego urbano. Em parceria com os governos locais, a IA da DiDi tem como objetivo oferecer melhorias no fluxo do tráfego.

O Summit Mobilidade Urbana 2020 será gratuito e online. Inscreva-se agora.

A solução, batizada de DiDi Smart Transportation Brain (cérebro de transporte inteligente da DiDi, em tradução livre), já é utilizada em mais de 20 cidades chinesas. Em 2019, Porto Alegre (RS) se tornou a primeira cidade fora da China a utilizar a tecnologia.


O DiDi Smart Transportation Brain é uma solução de inteligência artificial que utiliza os dados em tempo real dos veículos cadastrados para fornecer às cidades melhorias de transporte e infraestrutura, incluindo medições de fluxo, "sinais inteligentes de tráfego", faixas reversíveis e agendamento de manutenção e avaliações do sistema.

Com informações de mais de 7 bilhões de viagens realizadas pela Didi em 2017, a ferramenta foi lançada em 2018. A solução aplica a análise de IA no Big Data da empresa para ajudar os semáforos a ajustarem automaticamente o tempo de abertura e de fechamento com base no movimento instantâneo dos carros na plataforma.

Os dados do GPS dos veículos são transmitidos, em média a cada dois segundos para a nuvem conectada com o controle inteligente da rede de semáforos da cidade. A partir das duas bases de informações, o algoritmo calcula o tempo dos sinais de forma a propiciar o melhor fluxo de automóveis e realiza o ajuste de forma automática e direta nos semáforos.

Monitoramento de trânsito em Porto Alegre

Em 2017, Porto Alegre fez uma chamada pública para testar sistemas que pudessem oferecer um diagnóstico preciso dos deslocamentos dos veículos na cidade. A 99 respondeu a iniciativa, em março de 2018, com um conjunto de dados contendo os locais com maiores índices de embarque e de desembarque de passageiros durante as madrugadas, para nortear ações de educação no trânsito.

Mapa de serviços apoia economia colaborativa em BH

Desde então, a cidade brasileira e a plataforma de transporte começaram a desenvolver uma ferramenta exclusiva para atender ao tráfego local, com base no modelo da empresa chinesa. A capital gaúcha conta com um sistema de monitoramento de semáforos capaz de controlar 95% dos quase 1,4 mil aparelhos da cidade.

Além de melhorar o fluxo, a solução, batizada de Mapa da Fluidez, pretende fornecer um histórico comparativo para avaliar medidas implantadas pela autoridade de trânsito, como faixas exclusivas.

Resultados em cidades chinesas

A China foi o primeiro lugar do mundo em que essa solução foi aplicada, sede mundial da DiDi. No total, a empresa introduziu sinais inteligentes de tráfego em mais de 2 mil aplicações em todo o país, incluindo regiões metropolitanas que abrigam 12 milhões de pessoas, como Tianjin e Shenzhen.

Como diversificar opções de deslocamento? Inscreva-se para esse debate gratuito e online que integra o Summit Mobilidade Urbana.

A gestão inovadora melhorou a fluidez do trânsito em pouco mais de 20%, segundo dados da companhia. Em algumas localidades, como Guangzhou, a solução, além de reduzir os engarrafamentos, aumentou a velocidade média em 42% nas principais vias da cidade.

Em Jinan, capital da província de Shandong, os Smart Traffic Signals foram instalados em 344 cruzamentos. A solução economizou diariamente mais de 30 mil horas de tempo de viagem para passageiros, o que representa uma economia anual de mais de 11,5 milhões de horas. Como resultado, os atrasos médios no tráfego foram reduzidos de 10% para 20%.

Fonte: Prefeitura de Porto Alegre, DiDi

https://summitmobilidade.estadao.com.br/inteligencia-artificial-da-99-monitora-transito-no-brasil/